Desintegração radioativa

Quando ocorre a desintegração, os núcleos liberam radiação em forma de partículas alfa (α), beta (β) e raios gama (γ).

Desintegração alfa

Consiste na emissão da partícula alfa (α). Esta partícula é carregada positivamente, sendo sua carga 2+. É formada por dois prótons e 2 nêutrons expelidos do núcleo.

Primeira lei da radioatividade / Lei de Soddy

“Quando um núcleo emite uma partícula alfa (α), seu número atômico diminui duas unidades e seu número de massa diminui 4 unidades.”

Exemplo:

Desintegração beta

Consiste na emissão de partícula beta (β). É formada por um elétron que é “atirado” em altíssima velocidade para fora do núcleo. Na verdade, o elétron não está no núcleo. O elétron é emitido por causa do núcleo instável.

Segunda lei da radioatividade / Lei de Soddy-Fajans-Russel

“Quando um núcleo emite uma partícula beta (β), seu número atômico aumenta uma unidade e seu número de massa não se altera.”

Exemplo:

Lembre-se que a carga elétrica relativa do elétron é 1-. Neste caso, o átomo pai e o átomo filho são isóbaros. Os átomos de tório, césio e estrôncio emitem radiação β.

O tório-234, por exemplo, se transforma em protactínio-234 emitindo um elétron, partícula beta.

Desintegração gama

As emissões gama (γ) não são partículas. São ondas eletromagnéticas, assim como a luz ou ondas luminosas.

Possui um poder de penetração maior que a alfa e beta. Conseguem atravessar até 20cm no aço e 5 cm no chumbo (Pb). Por este motivo, estas emissões são muito perigosas do ponto de vista fisiológico. Podem danificar tecidos vivos e até matar.

A emissão gama (γ) não altera nem o número atômico e nem o número de massa. O rádio-226, por exemplo, se transforma em radônio-222, emitindo radiação gama e também partículas alfa.

  

Como referenciar: "Desintegração radioativa" em SóQ. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2018. Consultado em 21/07/2018 às 12:23. Disponível na Internet em http://soq.com.br/conteudos/ef/radioatividade/p1.php